Friday, November 02, 2007

Do site Permanência

O dia de hoje ficará marcado na História como um dos mais tristes para a Civilização dos homens. Em mais uma atitude anti-católica, os parlamentares espanhóis votaram uma espécie de "excomunhão" do General Franco. Condenaram a glória do exército espanhol que, vencendo com bravura os assassinos comunistas, encerraram um ciclo negro da história deste povo católico, que viu seus padres e freiras sendo violentados e assassinados, centenas de igrejas serem queimadas, o sacrilégio e o terror, dignos dos tempos das guilhotinas revolucionárias, espalhados pelo glorioso solo espanhol.

Mais uma vez a mentira dos intelectuais, dos jornalistas, dos políticos "moderados", da mídia ignóbil, que lambem as botas tintas de sangue dos terroristas e assassinos, derruba um marco de heroísmo e de bravura das nossas vitórias contra a Besta do comunismo. Mais uma vez a vingança dos derrotados atinge em cheio aqueles que, mortos e sem direito à defesa, vêem do céu sua honra, sua honestidade, seu patriotismo, elameados pela mentira.

Nossos leitores menos atentos poderiam dizer que, pelo menos, na véspera, a Igreja beatificou os 498 padres, religiosos e freiras, vítimas destes mesmos comunistas assassinos. Mas o meu coração não consegue encontrar aí nenhum repouso, pois eu ficara justamente estarrecido, amargurado e triste, profundamente triste, diante da covardia e da cumplicidade de todos os Eminentíssimos senhores cardeais e bispos que subiram em cátedra para as homilias em comemoração desta beatificação. Não encontrei, em nenhum dos três sermões que li, uma só explicação, uma só menção dos algozes daquele quase meio milhar de mártires. Em vez de explicarem para o povo fiel (que tinha o direito de saber a verdade) que aqueles católicos tinham sido mortos por COMUNISTAS ASSASSINOS, pelo simples fato de serem padres, de serem freiras, de serem católicos, os senhores bispos correram para avisar: - Olhem, não é por motivos políticos que eles são beatificados. Em outras palavras: não estamos aqui condenando o comunismo! Não. E se dessem, nos jornais, a estes senhores a palavra, eles certamente repetiriam as mesmas barbaridades históricas que os vingativos derrotados, nas Assembléias espanholas, proferiram hoje, mentindo e enganando o seu próprio povo, condenando o homem que salvou a Espanha e que deixou no coração dos espanhóis apenas lembranças de prosperidade e de paz. Agora vão destruir tudo. Vão destruir os monumentos, violar os túmulos, cuspir na honra de tantos heróis; vão arrancar do coração guerreiro a memória de tanto heroísmo. E daqui há poucas semanas, até técnico de futebol dirá que tudo de ruim na Espanha é culpa de Franco.

Tudo isso vem se somar à mesma vingança dos Comunistas derrotados que encontramos em toda parte, inclusive na nossa história recente, quando uma massa impressionante de dinheiro, de jornais, de artigos, de filmes, de livros, vem tentar varrer da mídia a verdade, como vemos hoje fazer o governo, e o jornal O Globo, com sua televisão e tudo o mais, quando o livro do Cel. Brilhante Ustra conseguiu rachar a carapaça de mentira e de marginalização que sofrem os que insistem em dizer a verdade histórica.

A condenação ao Comunismo não foi renovada no Concílio Vaticano II por causa de um pacto macabro entre a Secretaria de Estado do Vaticano e o Kremlin, pois era a condição imposta por Moscou para que os "observadores" cismáticos ortodoxos pudessem participar do Concílio. Desde então, nunca mais se ouviu falar na encíclica Divini Redemptoris, de Pio XI, que mostra a malícia intrínseca, visceral, desta seita diabólica que vomitou o inferno nos infelizes povos que viveram sob seu domínio. E é deste fedor que respiramos hoje, neste mundo alegremente esquecido de toda a barbárie centenas de vezes comprovada pelos governos comunistas. Hoje, nós caminhamos de mãos dadas com esta América Latina entregue, sem forças, sem um mínimo de vontade de reagir, de levantar-se, de por para fora este mal terrível.

Talvez isso tudo faça parte das dores... "quando tudo isso acontecer, levantai vossas cabeças, e sabei que está próxima a vossa redenção" (Ev. de S. Lucas, 21). Afinal de contas, se já não existe mais a Civilização Cristã, se já não é em torno dos critérios de virtude, de honestidade, de honradez, que se forma o homem do século XXI, então, talvez seja mais lógico que as atitudes dos governantes e dos intelectuais levem os homens a destruirem a memória de tantos santos e de tantos heróis. Portanto, você, caro leitor católico, não se espante, não se turbe, não tenha medo de dizer, ao menos no seu coração: eles mentem! Mas Cristo é nossa Vitória, e quando ela vier, brilhará do Oriente até o Ocidente, como o raio que atravessa o céu, e todos os homens verão a sua glória, enquanto seus inimigos serão confundidos.

Que fazer ?
Lutar. Combater. Clamar. Guerrear.
Roguemos pois a Deus, com todas as forças; desfaçamo-nos em lágrimas de rogo e gritemos a súplica que nos estala o coração: enviai-nos Senhor, ainda neste século,
um reforço de grandes santos, de grandes soldados que queiram dar a vida, no sangue ou na mortificação de cada dia, pela honra e glória de Nosso Senhor Jesus
Cristo.
Compadecei-vos, Senhor de nossa extrema miséria, e sacudi os homens
para que eles saibam quem é o Senhor !


Gustavo Corção
“O Século do Nada”



Recomendamos veementemente a leitura de Gustavo Corção, em seu O Século do Nada, no seu magistral capítulo sobre a guerra da Espanha. Essencial para se conhecer a verdade. Leia também O Alcazar de Toledo e O Mito de Guernica.

(Em http://www.permanencia.org.br/; de 31/10/07)

2 comments:

Pedro said...

Que bom ver um novo post! Já estava sentindo falta!

cris said...

amei o post e adorei ver o blog atualizado!